Quem me conhece mais de perto sabe que sou tenista amador. Encontrei no Tênis um esporte completo, que movimenta o corpo inteiro e que me tirou do sedentarismo.

À medida que fui jogando, voltei a acompanhar ativamente o Circuito Mundial de Tênis, assistindo aos principais jogos dos torneios que acontecem ao longo do ano.

Nesse final de semana ocorreram as finais do Miami Open, torneio Master 1000, que teve como vencedor, na minha opinião, o melhor tenista de todos os tempos, Roger Federer. Uma cena me chamou atenção num jogo de semifinal entre Denis Chapovalov (19 anos, atual 20 do mundo) e Francis Tiafoe (21 anos, atual 30 do mundo). No vídeo acima, Chapovalov faz uma jogada de gênio, ganha o ponto e conta com um cumprimento inesperado do Tiafoe, que fez questão de reconhecer o talento do seu oponente. Os dois terminam o ponto sorrindo, quem ganhou e quem perdeu.

Pode parecer um gesto simples, mas não é. Em um mundo onde somos programados para ganhar sempre, não importa como, onde brigamos com amigos, concorrentes ou mesmo quem simplesmente pensa diferente de nós, muitas vezes por bobagens, esse gesto é muito emblemático e deve nos inspirar a mudar nossa postura.

Nos negócios e na vida, temos que tentar obter nossas conquistas com o nosso próprio talento e sem subterfúgios. Mas uma conquista só é legítima quando não destruímos o outro, quando, ao vencermos, despertamos a admiração do outro.

E você, como enfrenta os desafios da sua vida pessoal e profissional? Para você, ganhar é o que importa?

 

Gestão de Processos planejamento negócios

Carlos Eduardo Bandeira Araújo

Sócio e Consultor da Parceria Consultores

Especializado em BPM (Gerenciamento de Processos de Negócios) e Gestão Estratégica com mais de 20 anos de experiência.