Planejamento estratégico como alavancador dos resultados organizacionais.

 

Vivemos momentos de frequentes mudanças no mundo e, particularmente, no Brasil. Este cenário impõe imensas dificuldades para as empresas, que precisam planejar e se estruturar para se manterem ainda mais competitivas e se consolidarem no mercado em que atuam. Neste sentido o planejamento estratégico constitui uma importante ferramenta para orientar o desenvolvimento organizacional.

Realizar planejamento estratégico significa estabelecer os rumos do negócio, buscar vantagens competitivas e decidir que aspectos devem merecer maior atenção, e consequentemente investimentos, para assegurar a alavancagem organizacional. Quando uma organização define em quais áreas, projetos ou mercados pretende investir, ela também está dizendo para si onde não realizar investimentos.

Um planejamento estratégico que envolva os principais líderes da organização gera também, como resultado, um maior nível de coesão dos seus membros em torno dos objetivos e metas traçadas. Embora isso não garanta o sucesso da implementação dos planos, contribui decisivamente para tal.

Nós da Parceria facilitamos a elaboração de planos estratégicos há 17 anos, sempre de forma participativa e adotando buscando a gestão por indicadores, cuja estrutura básica envolve a realização de um amplo diagnóstico da organização e do cenário no qual ela está inserida para então definir os objetivos estratégicos a serem perseguidos no ciclo de planejamento. Os objetivos por sua vez, se desdobram em indicadores, cujas metas passam a ser monitoradas periodicamente. Também são elaborados planos de ação e projetos que, se realizados, assegurarão o atingimento dos objetivos, medidos pelos indicadores e, portanto, levará a organização para mais perto da visão de futuro traçada.

“O segredo do sucesso não está em fazer previsões do futuro. Está em preparar-se para o futuro que não pode ser previsto” – Michael Hammer, MIT. (1948 – 2008).

 

O planejamento estratégico contribui decisivamente para otimizar os recursos organizacionais, produzir mais eficácia e ajudar a empresa a atingir os seus objetivos. Realizar planejamento não é tomar decisões futuras, mas avaliar as implicações futuras das decisões que são tomadas no presente. Afinal, o futuro é construído no aqui e agora.

 

 

Carlos Eduardo Bandeira Araújo

Sócio e Consultor da Parceria Consultores

Especializado em BPM (Gerenciamento de Processos de Negócios) e Gestão Estratégica com mais de 20 anos de experiência.